Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

Desafios do futuro mercado voluntário de carbono

SÉRVULO NA IMPRENSA 24 Fev 2023 in ECO

Ana Luísa Guimarães e João Tomé Pilão escrevem no ECO sobre a proposta legislativa que contém as regras relativas ao mercado voluntário de carbono português, em consulta pública até ao próximo dia 10 de abril. 

De uma forma simples, o mercado voluntário de carbono visa permitir a qualquer operador económico compensar as suas emissões de gases com efeito de estufa através da aquisição de “créditos de carbono” (o lado da procura) emitidos no âmbito de projetos de redução de gases com efeitos de estufa ou de sequestro de carbono (o lado da oferta).

Não estando em causa o mercado obrigatório de carbono (o conhecido CELE, regulado legislativamente pela União Europeia), o que move os interessados na aquisição dos créditos de carbono, e está na base da existência dos mercados voluntários de carbono, não é, pelo menos em primeira linha, o cumprimento do quadro regulatório aplicável (o modernamente designado compliance), mas sim o objetivo de reforçar as suas estratégias de sustentabilidade, de diferenciar os seus produtos e valorizar as suas marcas. 

Leia o artigo na íntegra, aqui.

Advogados Relacionados
João Tomé Pilão